06 abril 2006

A noite foi de todas as côres!

Pareçe que, finalmente, o saquinho dos tormentos que todos carregamos, e no meu caso, se resolveu abrir.

Quero falar-vos duma situação que já há algum tempo me causa profunda tristeza. Sobretudo com a chegada das 5ª feiras. Dia em que A noite é de todas as côres ia para o ar na Rádio Ocidente. Pois bem, ia, digo eu, porque já não vai. Pelo menos tendo como anfitrião o Manuel Lopes.
A estação foi comprada por uma grande rádio nacional, e a limpeza, como é da praxe, começou.

Com a consideração e o respeito que os outros profissionais da Ocidente merecem, não posso deixar de manifestar a minha raiva, quase desespero, acreditem, pela saída do Manuel Lopes.
Era ele a alma e o motor deste programa, que todas as 5ª feiras abria as portas e o coração ao auditório, dando vóz a alegrias, a tristezas, a talentos, com o seu talento de cidadão e comunicador. Ninguem, como o Manuel, e é difícil pô-lo em palavras, sabia conduzir a corrente de sentimentos que nós, grandes cromos, por vezes despejava-mos ao seu microfone.

Tenho saúdade de ouvir os amigos que semana após semana marcavam a sua presença nesse espaço sempre ansiado! O Zé Batista, (grande rouxinol) o Vitor,(exemplo de vida) o Vasquinho, (nosso embaixador junto das Figuras históricas) a Maria José Flôr, a D.Ercília, a Ameixa, o Aranha, a Regina e tantos outros...

Não sei quais foram os critérios que levaram á saída do Manuel Lopes da Ocidente. Não me cabe a mim, nem aqui, equacionar esse assunto. Só sei que a Ocidente perdeu um ouvinte e tornou as minhas 5ª feiras, ao final do dia, mais tristes e vazias.

Em meu nome, e de certo em nome de todos os noctívagos coloridos, obrigado Manuel Lopes por tudo aquilo que partilhou connosco, pela entrega e o carinho que povoaram as noites de 5ª Feira.

Um abraço, Grande!

3 comentários:

Anónimo disse...

Pese embora o facto de eu não ter sido um ouvinte muito interveniente no programa, fazia parte do inúmero lote de pessoas que, não raras vezes, se divertia
a apreciar a qualidade, popularidade e diversidade do mesmo.
Aproveito o ensejo para cumprimentar o Manuel Lopes e dizer-lhe que as noites de quinta-feira têm hoje um enorme odor a vazio, quiçá um certo sabor amargo a injustiça...
Como estamos no blog de um amigo "lampião" e a noite já não é de todas as cores, permito-me enviar daqui as minhas fraternas saudações leoninas.
Um grande abraço do
Zé Lopes

zmsantos disse...

Tal tá esta provocação 'lagartosa'

Enfim, até têm um pouco de razão.
A águia anda a voar baixinho.
Outros tempos de glória virão! (esperemos)

Manuel Lopes disse...

Porra, isto não se faz.
Com as vossas palavras obrigam-me a fazer um esforço desumano para menter certo o ditado que diz que um homem não chora.

Grande abraço, AMIGOS
Manuel Lopes