05 fevereiro 2007

RAZÃO versus CORAÇÃO


Não, não vou mentir e dizer a mim próprio que são coisas da vida.
Não colocarei a minha habitual cara de palhaço, a que recorro sempre que a tristeza teima em se instalar, de armas e bagagens.

No sábado assisti à última actuação dos Boémia na sua formação de tocar em bares. Um trio de amigos, que por vezes são quatro, ou cinco, ou dez. Quase sempre são multidões. Isto é o que me diz o coração, quando os oiço.
Como colectivo, os Boémia têm sido, e decerto continuarão a ser, para mim, uma referência cultural díficil de pôr de lado.E se falarmos de amizade, não existem palavras suficientes para descrever os sentimentos que me têm proporcionado.

Por quanto tempo mais durará esta luta entre a Razão e o Desejo, entre aceitar as decisões que todos temos que tomar na vida e a continuação de um sonho, decerto não o saberei.
O que sei é que todos eles são meus amigos, e aos amigos se deseja tudo de bom, na vida...

5 comentários:

Anónimo disse...

Foi com surpresa e tristeza,que li que o trio dos Boémia tinham feito a ultima actuação.
Comungo dos teus sentimentos, e quero, deixar aqui o meu abraço para todos eles.
E dizer-lhes, que é um honra contar com a sua amizade, e que em breve, possa ter o prazer, de os voltar a ouvir.
O meu muito obriga, por tudo aquilo que convosco aprendi.
Cachaço

Dionisio Leitão disse...

Mas, de facto, são mesmo coisas da vida. Também tenho pena disso ter acontecido mas compreendo que na vida todos temos que seguir o nosso próprio caminho. A todos eles desejo as maiores felicidades e, claro, que continuarei a acompanhá-los. E para ti vai um abraço.

Micas disse...

Como eu entendo bem as palavras que aqui escreves...
Desejo felicidades aos elementos da banda e, que pelo menos não deixem nunca o sonho morrer, sejam quais forem as suas opções.

beijinho

Anónimo disse...

A escolha de um caminho ou a procura de um novo rumo são sempre questões pessoais muito delicadas e complexas. Mas a verdade é que mesmo as decisões mais difíceis de tomar não podem ser eternamente adiadas!...
É claro que nós, os que gostamos de ver e ouvir aquela formação dos Boémia, não estavamos preparados psicologicamente para "aceitar" determinadas mudanças que, à partida, eram absolutamente inimagináveis... Mas como a vida continua e como temos por dever respeitar a decisão dos nossos amigos, resta-nos desejar-lhes as maiores felicidades onde quer que eles estejam a oferecer-nos a sua boa música mas também a sua sempre agradável companhia.
Zé Lopes

Alentejanita disse...

Olá Zé,

O coração tem razões que a própria razão desconhece. Por vezes acontecem coisas que nos fazem questionar o porquê dessas mesmas coisas, mas nada acontece ao acaso, pois tudo tem uma razão de ser.

É de facto triste ver as voltas que a vida dá, mas o facto de esta ter ditado o fim dos Bohémia não indica que seja necessáriamente um fim, pode também ser o inicio de algo.

Não devemos olhar com tristeza o passado, mas sim sorrir para o futuro.

Beijinho