05 junho 2008

A Helga passou-se!








É do conhecimento geral, a minha incapacidade de, perante uma encruzilhada, optar correctamente pelo caminho certo. Assumo o desnorteio com uma indisfarçada inveja daqueles amigos que, dotados de GPS ou de natural habilidade de pombo-correio tomam a dianteira trilhando, sem hesitar, o verdadeiro rumo.
Um desses amigos – talvez o único, embora não seja consensual, não achas, Charraz? – tem-nos valido algumas vezes em situações periclitantes de “onde é que esta porra vai dar?” quando nos deslocamos em viagem a locais que não conhecemos.
Talvez por ter um sistema GPS no seu automóvel, uma vozinha meiga de menina a quem ele baptizou de Helga. Talvez por ter uma grande experiência de estrada, o Za lá vai à frente da caravana, guiando-nos, como cão-de-cego, em direcção à luz.
Ora acontece, que ontem, fomos todos na tal caravana, atrás do Za rumo ao Restaurante A Baía, no Seixal onde tocava, pela primeira vez o Rogério Charraz.
Àquela hora era recomendável utilizarmos a ponte Vasco da Gama em detrimento da 25 de Abril por causa do trânsito caótico gerado por quem regressava a casa depois de um dia de trabalho.
Passámos a ponte. Tudo bem. Mas quando eu começo a ver nomes de localidades como: Moita, Alhos Vedros e Sarilhos Grandes, pensei: - Pronto estamos metidos em sarilhos!
Ele eram inversões de marcha, ele eram becos sem saída, caminhos de cabra, rotundas conhecidas… Enfim. A Helga passou-se! Como uma barata tonta, virava-mos à direita, à esquerda, e a viagem que demoraria, normalmente meia hora, demorou uma hora e meia. E foi grande o gozo do Charraz, da Isabel e do João quando finalmente chegámos ao Seixal. Adiante…

A Baía é um espaço despretensioso. Situado no traçado antigo da vila, uma casa de duas águas, rente ao chão, muito perto da baía, donde lhe vem a graça. Não se vêm dourados ou cromados. Mantém o forro do tecto em madeira antiga, pintado de cores suaves e quentes. Nas paredes, fotografias do local, antigas, motivos marítimos e a meia-altura um sucessivo traço ondulante a dividir o azul do branco a fazer lembrar as ondas do mar. A porta e os portados das janelas ainda, felizmente, em madeira, assim como os móveis de apoio, a respeitar o conjunto.
A ementa é variada, e daquilo que provámos, todos viemos satisfeitos. Eu falo do meu bacalhau assado em cama de grelos com batata a murro, que estava óptimo. Do polvo á Lagareiro, do caril de frango também. O vinho da casa (Alentejano) soube-me a pouco, porque tinha que me fazer à estrada. As sobremesas satisfazem os paladares mais exigentes.
A simpatia do Vitor Sarmento e da sua esposa Lurdes, para quem os conhece, é já um dado adquirido.
Um belo local para se fazer uma refeição. Calmo nos dias em que o Rogério Charraz e o seu grupo de desordeiros amigos lá não estiverem. Com música ao vivo de 4ª a Sábado.
Encerra Domingos à noite e às 2ª feiras.
Restaurante A Baía. Um nome a reter para quem gosta de ser bem recebido.

E, coisa estranha: O Za foi o primeiro a saír, mas não levou ninguem atras dele...

14 comentários:

A CONCORRÊNCIA disse...

Olha, eu cá para mim gostei de tudo, adorei a companhia (como sempre), o repasto, o vinho, as cantigas do Charraz, e até fiquei amiga da Helga que é uma gaja muita fixe, não podemos é confiar no que ela diz porque ela ás vezes passa-se. Também quem tem de aturar o ZA só por milagre é que não ficará insalutarmente insano.

Beijos para o ZA ausente algures nesse Alentejo profundo.

MisteriosaLua disse...

Essa dos amigos desordeiros!....

zmsantos disse...

Beijos só para o Za?
Ui, ui, vais ouvir das boas...

A CONCORRÊNCIA disse...

Amiguito chegou-me aos ouvidos que a viagem de regresso sem Helga também foi um bocado atribulada (circulações em contra mão ?). Só espero que o Charrazito não venha a saber destes vossos problemas de orientação.
Estou mesmo a torcer para que ele não saiba ...

Beijos para todos !!!

zmsantos disse...

Meia, meia circulação em contra-mão.
Mas também não é de admirar. Depois do comer e do beber (pra já não falar da música do Charraz...

Tens cá umas informadoras, vai lá, vai!

MisteriosaLua disse...

Juro que não me chibei! Se fosse para me chibar, não só falaria da contra mão, como também do carro que ia ficando sem fundo, como ainda também das dezenas de quilómetros que se fizeram a mais! Até parecia mesmo que estavamos a ser guiados pela Helga!

A CONCORRÊNCIA disse...

Mas eu disse que alguém me tinha contado ? É o meu sexto sentido que é muito apurado ... Charrazito uh, uh , Charrazito onde andas, há por aqui novidades muito interessantes, acho que os gajos agora se andam sempre a perder, naturalmente terão que ir sempre atrás de ti para conseguirem chegar a qualquer local ...

zmsantos disse...

Isto é que tá aqui uma indecência!
Engraxadoras!

MisteriosaLua disse...

Engraxadoras?? Com o cachet que me pagam, bem posso virar engraxadora, para ver se tenho dinheiro para comprar leite para o meu filho!...
Quanto ao Za não ter seguidores, não teve nada a haver com a Helga!Nããããã~! Nada mesmo!
Apenas sabíamos que a Fatela tinha pressa em chegar a casa, e não queríamos que eles tivessem de esperar por nós mais à frente, caso fossemos apanhados pelo vermelho... Apenas isso,nada mais!

Zé dos Anzóis disse...

A saida apressada apenas teve a ver com a hora tardia para a Fatela, que ainda por cima tinha teste, que correu "BUÉ da bem", no dia de quinta feira.
Agora essa historia de contra mãos e outras cenas, não tive nada a ver com isso e devo informar que chegamos a casa passavam 22 minutos da partida da Baía.
Desta vez sem qualquer ajuda da Helga, embora hoje já se tenha redimido, e feito um excelente trabalho.
Outra coisa, pior que os peidos de Za, Jc e Zm são as bufas que circulam diafrçadas nos carros vermelhos.
Za
Za

Carol disse...

A viagem foi de facto algo atribulada ... e é verdade que o coraçao quase me parou no peito quanto senti o baque no fundo do carro depois de uma transgressao cometida devido ao facto de virmos em contra-mao !!!

Mas chegámos a bom porto e isso é que foi fundamental !!

Assim que passámos a ponte 25 de Abril o nosso comentário foi:

"A partir daqui é sempre em frente !! A margem sul é fantástica, mas tem muitas rotundas e afins ;)"

Bjs,

Maria disse...

Pelos vistos perdemos algumas emoções....
Não pudemos ir, pois há "crianças" que falam mais alto....
Mas na sexta feira estamos lá. Quatro. Sem falta!!!

Beijos

Leticia Gabian disse...

Graças a ti, amigo Zé Manel,
posso (sem fazer uso do auxílio da Helga) trocar a Bahia pela Baía... E, se lá tiver gente competente a cantar e tocar, vai ser mesmo muito bom!

Abraços

Rogério Charraz disse...

Desculpem lá não ter comentado antes, mas ainda não consegui parar de rir......

eheheheheheheheh!

Vejam só, os basófias, sempre a mandar postas de pescada porque um gajo cometeu UM erro, e afinal...

ahahahahahahahah!

Ó Zé, mas como é que tu te consegues perder do Seixal a casa vindo pela 25 de Abril!?!?

hihihihihihihihihi!

Não percebi essa do fundo do carro, podem explicar melhor?!?! Eu não demorei 22 minutos porque o Toyota está velhote, mas não foi muito mais.... e logo eu, que sou um desorientado!!!!

ahahahehehehhihihihi!