15 novembro 2006

Rostos #5

















Onde andas, miúdo?

16 comentários:

Anónimo disse...

Sr Perdigão,


Há muito que não falávamos. Ou seja eu falo, com a clareza que me é permitida e sempre desejada e o senhor refila, critica, maltrata : ))

Confesso que já tinha saudade das nossas trocas. Vejo e revejo com muita assiduidade o seu blog, mas nem sempre encontro tema... atenção o tema não vem só do blog... a vida por vezes também não tem muito tema e mesmo quando tem, nem sempre o exteriorizamos.

De modo que ausências, procuras, buscas, rostos reais – Concretos!... são (-me) temas muitos queridos e hoje não podia deixar de me intrometer.

Das coisas mais bonitas que há nesta vida é poder ver. No sentido literal da palavra. Ver é o primeiro passo para a apreensão e daí para a estruturação. Gosto de obras Sr Perdigão! Gosto de construções!

Publicou alguns rostos dos quais é possível tirar muitas informações, ainda que sejam apenas no sentido da apreensão, mas a “forma é já o conteúdo” (Lacan).

Poucas pessoas se apercebem de que um rosto, com todos os seus contornos físicos (maxilares, mandíbula, orbitas, tamanhos e espessuras...) é já “meio caminho andado” para uma postura, para uma personalidade...

A estrutura óssea e o preenchimento que a génese dos nossos ADN’s nos traz são já uma possibilidade, ou a falta desta, para determinadas posturas do corpo, para determinadas actividades...

Um sorriso é tanto mais aberto quanto maior for o enquadramento dos maxilares na mandíbula e uma pessoa que “ri com os dentes” todos é considerada sempre mais simpática e alegre do que uma pessoa cujos lábios apenas se “esticam” de um lado ao outro do rosto. Curioso é que as gargalhadas, mais ou menos sonoras, estão condicionadas e pelo espaço “deixado” nas ligações “cá atrás” (posição óssea das mandíbulas, tamanho da trqueia...). Ou seja, quanto mais espaço houver na garganta, mais sonora pode ser uma risada. E nós – inteligentes “comó caraças” dizemos – ah esta pessoa tem um sorriso mais aberto e simpático que aquela outra... Tá claro! Ninguém anda por aí a olhar para os tamanhos da boca, nem na sua formação congénita! Isto já para não falar que nas pessoas que têm os dentes estragados... tão tramadas, que ninguém lhes olha para o sorriso (e até acho bem, pior que um sorriso cínico é ter os dentes sujos e estragados – ah que haver um pouco de dignidade... ou então não somos a obra prima).

(Sempre gostava de saber se a Marylin M.seria a grande sex bomb se se mantivesse Norma Jean, ou se chegasse, sei lá 120 kg? Se é que com 70 kg já não estariam a despedi-la dos estúdios holiwodescos.)

Bem, o facto é que o Sr Perdigão deu-me o privilégio de ver um rosto muito interessante... e escreveu “Onde andas miúdo?” Efectivamente, o senhor deve ter uma sensibilidade extraordinária, porque o rosto desta pessoa é mesmo um rosto de quem procura e de quem tem uma aptidão nata para fazer e ter perguntas constantemente e quase que arriscaria que é um insatisfeito, no bom sentido da palavra.

As arcadas supraciliares fortes, salientes, permitem uma protecção substancial pelo que aquele arquejar de fronte é intenso e muito apropriado para expressar buscas e perguntas. As perguntas para esta pessoa devem ter sempre um “ar grave e sério”. As órbitas, grandes, acomodam um olhar meigo, mas frontal. A boca é pequena. Não permite sorrisos demasiado abertos e “rasgados”, mas os maxilares, atrás, prendem-se numa mandíbula larga e as gargalhadas, de certeza que são sonoras. Tem três pormenores interessantes no seu rosto – lábios cerrados que provavelmente transparecem uma pessoa obstinada e capaz de grande energia; o outro pormenor – o cabelo – é de alguém irrequieto, por vezes rebelde e o terceiro pormenor – o conjunto. Ah e o cabelo! É de um rebelde. Genericamente esta pessoa transmite busca, procura.... já o disse... Não disse foi o segredo que gostava de partilhar consigo e com essa pessoa (espero que ela veja o seu blog...) – só se procura, quando se quer muito e só se quer muito quando se ama de verdade... Sr Perdigão, encontre “esse miúdo” e não deixe de o procurar – há ali muita tenacidade e muita coisa para dar.

Adorei entrar hoje no seu blog!

Agradeço
Naia Castro
(Nota – a ideia das manias foi verdadeiramente excelente, mas exclui-me porque não tenho blog e desculpem lá qualquer coisinha, mas lamento não terem criatividade suficiente para aceitarem o desafio deste senhor – somos todos assim, levamos a maior parte do tempo a brincar...Temos pena!)

zmsantos disse...

Pois Naia! Antes de mais bem-vindo (a)a estas Penas!
Ao ler o seu comentário a este post vi-me na pele de um dos protagonistas daquela série da TV, CSI, que aborda os métodos cientifico-forenses utilizados pela polícia, na resolução de crimes.Sim senhor, muito Pró, vê-se que fala com conhecimento da matéria, o que me desvia, completamente, de direção na minha interminável busca da sua identidade ou personalidade.
Mas enfim, isso não é relevante para esta resposta. O que é relevante é que a análise feita por si desta foto encaixa-se com perfeição na personagem, o que o (a) torna um prodígio na leitura de,auras? cranio-morfologias? traqueiometrias? enfim com futuro assegurado em rúbrica astral de qualquer imprensa diária.
Quando diz «Que só se procura quando se quer muito» por certo estará bem longe, neste caso, do alcançe dessa afirmação.

É preciso ter muito cuidado com o que sentimos caro (a) Naia.Corremos o risco de nos acusarem de lamechisite agúda, protecionismo exagerado, advocacia defensiva, e outros erros que, tenho esperança, descubrirei oportunamente.
Continuarei a procurar as pessoas que, mesmo por pequenos gestos, me continuam a não ser indiferentes, embora, correndo eu o risco de ser excomungado por alguns deuses omnipotentes.
Assim termino, grato por mais uma visita sua,aconselhado-o (a) a fazer um acto de contrição, não vá o «Espírito do Perdigão» tomar conta da sua pobre alma.

PS: O Concurso das Manias não é da minha autoria.Tenho pena de não se considerar abrangida pelas suas regras, mas disso não posso (infelizmente) ser acusado.
Andamos a brincar Naia, andamos a brincar...

Rogério Charraz disse...

Zé, estou aqui há meia hora a rir sozinho. Olha logo em quem em que o/a Naia havia de pegar!!!!!
De facto, ou este(a) senhor(a) faz uma boa leitura de caras ou então está na cara que conhece o retratado. Fica por esclarecer.

PS: Dava jeito que se nos tirasse a dúvida do seu género sexual, para podermos parar de encher os textos de artigos;

PS2: Continuo a preferir o humor à neurose.

Anónimo disse...

Sr Perdigão,

(Acho que vou começar a participar com maior assiduidade...o seu blog vale a pena!)

Parece que "meti a pata na poça" - afinal "voçês" são mesmo amigos e conhecem-se todos!

Achei muita piada ao comentário do Sr R. Charraz, também me ri com ele. Pois de facto não conheço as pessoas em questão. Mas reconheço que poucas pessoas, como eu, são capazes de observações tão cuidadas e atentas da realidade.

O Sr Perdigão julgo que ainda se lembra (o seu amigo R.C. talvez nem tenha lido) mas eu leio sempre nas entrelinhas e não me limito a ver... a olhar... há saber também o que se vê e se olha...

Agora o que torna a causar piada é o facto de, pela segunda vez, insistirem em saber, qual o género sexual de Naia Castro.

Já tive também oportunidade de responder de forma mais ou menos séria sobre o assunto.

Para já apetece-me brincar - porquê? Qual a importância? O que é que isso interessa?

Se N.C. for mulher - ok, torna-se uma figura interessante, fazem-se algumas fantasias, tenta-se obter o estado civil, o contacto, etc, etc...

Se N.C. for homem - ok, não deixa de ser interessante, mas já não interessa o contacto, o estado civil, a foto... a vantagem é que até já nos sentimos mais à vontade para dizer umas palavras mais "pesadas" e quem sabe seja um gajo fixe para ir p/ os copos.

Quando deixamos de olhar para os outros só do nosso ponto vista?

Curiosa esta vida ... se for homem temos uma atitude, se for mulher temos outra...

Sr Perdigão, não tenho medo das suas asas... tenho medo é dos nehandertais... dizem que não sobreviveram, mas eles andam aí.

Agradeço.

Naia Castro

zmsantos disse...

Naia, para eu não ficar deslumbrado, se você for mulher, nem bêbado, se for homem, prefiro imaginá-lo(a)como uma núvem...

Bom fim de Semana!

Rogério Charraz disse...

Naia, quer saber uma coisa ainda mais engraçada? É que não nos quer dizer o seu género sexual para evitar preconceitos e no entanto a sua cabeça está cheia deles!!!

Sabe, cada um tem que assumir o que é, independentemente dos juízos de valor que sejam ou não feitos por inerência.

Esconder-se atrás de um artigo indefinido só revela a sua fraca personalidade. A sombra é muito mais confortável, não é?

Como vê, não é só nos rostos que as pessoas se revelam.

Rogério Charraz

Anónimo disse...

Sr Perdigão,

O Sr Rogério picou-se e de que maneira!!!! ui ui ui.

É lindo o normal da normal da normalidade - o instinto mais básico do ser humano - o ataque, antes que me nos atacem a nós...

Sr Perdigão, nunca penseique NC causasse tanta irritação!

Ui ui agora sou eu que estou aqui a rir há meia hora...

Agradeço, do fundo do coração, caro Rogério, agradeço (acho que o senhor vai passar a fazer parte das minhas "conversas" - é para dar descanso ao Sr Perdigã : )))

Naia Castro

Rogério Charraz disse...

Naia, quanta confusão...

A esclarecer:

Em primeiro lugar eu não ataco pessoas, apenas concordo ou discordo com as suas ideias, e tento fundamentar as minhas. E se assim procedo com todas as pessoas que conheço, consigo então não tenho outra forma, uma vez que a única coisa que me foi dado a conhcer da sua pessoa foram algumas ideias que por aqui foi deixando. Logo, nunca podia atacar o que não conheço.

O contrário também acontece, pouco ou nada conhece de mim. E só assim se explica que tenha justificado o facto de ter exposto algumas ideias com o facto de me ter sentido afrontado pelos seus comentários. Garanto-lhe que não, apenas procurei explicar-lhe que, na minha opinião, só se esconde quem não se sente confortável com o que é. E nesse caso não se deve defender com os preconceitos alheios, porque o acto em si já é um preconceito. Lá diz o povo que quem anda à chuva, molha-se, e quem não se quer molhar não se expõe ao relento, fica quietinho no seu abrigo.

Por fim, acredite que não há da minha parte o menor estado de irritação. Aliás, se reparar, não fez nenhum comentário às minhas ideias, aos princípio que defendi. Limitou-se a adjectivar o meu estado de espírito como irritado, "picado" e em posição de ataque. Ou seja, falou muito sobre a forma (embora com uma interpetação que é sua) e nada sobre o conteúdo. Coincidência? Ou será admiração pelo sofismo grego?

Bom, quanto ao seu agradecimento, não tem de quê. E fica desde já o convite, sempre que quiser rir ou conversar, o meu humilde barraco (http://tubodescape.blogspot.com) é uma porta semrpe aberta.

Numa coisa tem toda a razâo: afinal, nós somos mesmo amigos e conhecemo-nos todos!

Um Abraço,

Rogério Charraz

Anónimo disse...

Também faço parte do lote de pessoas que entendem que o/a senhor/a Naia Castro é já uma figura carismática e obrigatória deste blog, muito por culpa dos seus vastos conhecimentos, da sua facilidade de argumentação e da forma honesta (julgo eu) como defende os seus "pontos de vista". E por falar em honestidade, subscrevo inteiramente (sem me picar) a opinião do senhor R.C. no que concerne ao "dever" que as pessoas têm em assumir-se perante os outros. "Quem é que escreveu as seguintes frases: "Das coisas mais bonitas que há nesta vida é poder ver. No sentido literal da palavra."???
De qualquer modo, a verdade é que ninguém aqui deixou de notar a sua ausência (talvez lhe possamos chamar saudades), facto que me leva a constatar que, independentemente da sua côr, sexo, religião ou idade, conquistou neste espaço, indiscutivelmente por mérito próprio, o seu lugar! Mas sobre este assunto, é o senhor Perdigão que, na qualidade de bom anfitrião, terá sempre uma palavra a escrever...
Zé Lopes

zmsantos disse...

Pois, Naia! Penso que está cumprido um dos seus propósitos. Agitar a Malta! Como pode constatar a Malta até é amiga e atenta áquilo que se diz por aqui.
Vamos todos á 'luta' e não deixamos de dizer o que tem de ser dito, iclusivé constatar o mérito (se é que tem de haver algum)das suas palavras.O importante, para mim, e creio que para a maioria das pessoas que trocam, aqui, ideias é que no final, possa existir algum equilíbrio, entre o Deve e o Haver, na Balança das Emoções.
Quanto ao facto de desconhecermos o seu género, para mim é mais um aliciante.
Esteja em sua casa!Aqui ou no Tubo do Charraz!

Respeitosamente,

Anónimo disse...

Sr Perdigão, Sr Rogério C., Sr Zé L.,

Fiquei sem palavras. Como já devem ter percebido não lido muito bem com as emoções, principalmente porque há muitos equívocos de conceitos... Bem, fiquei sem palavras porque os senhores me trouxeram algumas emoções lisonjeiras e, em particular, a Vossa abertura de diálogo.

Não sei expressar nem condensar mais que o meu "agradeço".

Naia Castro~

P.S. O Sr Perdigão já tem com quem dividir o mal pelas aldeias... porque apesar da minha gratidão para convosco não vou "amolecer" e serei mordaz o q.b. à parte do lado humano. Acima de tudo a razão, a verdade, o conhecimento!

Anónimo disse...

A vez do Sapito: para o(a) senhor(a) Naia Castro,a pessoa da fotografia dá pelo nome de Sérgio.
Tenho a dizer que o meu orgulho em voçês,é grande,muito grande meus amigos.`
È do conhecimento dos que me conhecem,a falta que me faz não ter estudado,para elaborar textos como os que acabo de ler,mas mesmo assim escrevo,poucas palavras é certo,apenas para te dizer Zé Manuel,volta a colocar uma fotografia do Sapito no teu espaço,mas desta vez,a rir.
Eh,eh,eh...
Citando palavras tuas,José Manuel,"andamos a brincar,andamos a brincar."
Beijos e abraços para todos,sejam eles de que género sexual forem...

Anónimo disse...

Ora até que enfim!

O próprio. O retrado. O da expressão interessante. O do rosto cujos traços tanto inspiram a metamorfose de palavras, porque o próprio rosto em si encerra um conjunto morfológico interessante.

(Não sei porque as pessoas não gostam que se fale de biologia, morfologia, formas biométricas... sinceramente não sei. Até porque o que há de mais bonito é a natureza.)

Ora até que enfim o rosto tem um nome - Sérgio! Muito prazer! Acho que o senhor não tem sequer noção das potencialidades que a natureza bafejou o seu rosto e a multiplicidade de sensações com que preenche o olhar analítico de uma pessoa que gosta de observar...

Eu, se tivesse um rosto desses usava e abusava - Sr Sérgio ou muito me engano ou o senhor "encerra" muito mais do que tem noção e está a "desperdiçar" talentos... Aproveite! Que esse rosto e essa vida que tem, nesta alegoria, são unicos e não voltam mais...

Agradeço,

Naia Castro

Anónimo disse...

Pois é,até que enfim,pensará também o meu amigo Zé Manel,é ou não é Zé? Pssst,cala-te!
Naia Castro,eu juro que bem tento usar e abusar,mas nem sempre e ainda bem,me deixam.
Aqui fica a promessa,de que o Sapito,não vai desistir de tentar.
Beijos e abraços para todos.
Para ti,Zé Manel,aquele abraço e um beijo grande à Fátima.

O Sapito...

Rogério Charraz disse...

Até que enfim, alguém com coragem para se revelar. É assim mesmo Sapito, és o Máior!

Zé, não queres ir ver o Glorioso com o pessoal?

Anónimo disse...

É por isto,que me ponho a pensar
Quanta dúvida há num rosto
Quanto mistério tem o olhar
E o sorriso,será dôr ou desgosto?

Que me interessa o maxilare
A mandibula a orbita
Se a postura deixa a desejar
Se a personalidade é hipócrita

Conhecendo eu esse rosto
Conhecendo a personalidade
Meus amigos foi com gosto
Que com ele fiz amizade

Um abraço para todos
Cachaço